domingo, 9 de janeiro de 2011

Alguém por quem chorei

Gostaria de ter dito que eu te amo mais vezes do que realmente fiz. Gostaria também de não ter desperdiçado oportunidades de falar com você apenas por falar, jogar conversa fora e rir das piadas que fazíamos e adoravámos.
Eu deveria ter sido melhor.
Não é culpa, o que eu sinto. Se fosse, eus aberia, com certeza. É diferente. É algo que cresce e me corrói a cada dia, a incerteza de não ter como saber como teria sido se você aidna estivesse aqui ou se seria diferente se eu tivesse lhe dito algo que não disse.
Costumo dizer que não me arrependo de nada do que eu fiz e, se eu analisar em toda a totalidade da minha curta vida, isso é verídico. Mas há uma coisa, uma única coisa pequena como uma semente.
Só que o problema das sementes é que elas crescem.
As minhas cresceram e me incomodam. O único meio que encontrei para aliviar essa espécie de incômodo permanente dentro de mim foi o pensamento de que não cometerei o mesmo erro novamente.
Não sou muito boa com sentimentos, não consigo dizer e não sei como lidar com eu te amo.
Mas, ainda assim, não posso deixar que essa insegurança estúpida me domine mais uma vez.
Já fiz isso vezes demais.
E mesmo agora, depois de tanto tempo, eu ainda lembro de como era antes, antes de tudo aquilo acontecer, antes de você ir embora para nunca mais voltar. Eu agradeço por conseguir lembrar de como era antes.
Mas ainda sinto que poderia ter sido diferente.
O que eu sinto é arrependimento e isso pode ser tão ruim quanto a culpa.
O que posso fazer agora é esperar que, aonde quer que você esteja, saiba que ainda te amo tanto quanto antes, mesmo que não tenha dito isso muitas vezes.
Eu te amo. E eu não te esqueci. Nunca vou ser capaz de esquecer.
Você foi uma pessoa na minha vida a qual eu admirei, a qual idolatrei, mesmo em silêncio. Você fez coisas por nós que não precisaria ter feito, mas fez de qualquer modo.
E agradeço por cada uma delas - por mais infíme que tenha sido.
Não posso deixar de pensar em como você estaria feliz agora, com tudo o que está acontecendo. O que você diria, como você iria sorrir e brincar e delirar com as situações.
É tudo hipotético e irreal e faz meu coração se apertar. Pode parecer besteira e um pouco sado masoquista, dependendo do ponto de vista, mas eu abro um sorriso toda vez que penso nisso.
As primeiras semanas sem você foram horríveis e até hoje fico esperando que você abra a porta quando eu bater. Só que você não vêm mais. Nunca mais virá. Mas não choro mais ao pensar nisso, porque, de qualquer modo, você deve estar melhor agora. E isso é tão clichê e substancial, mas eu preciso pensar assim - foi isso que me sustentou, essa incerteza tão certa, quando você se foi.
Você deve estar melhor agora.
Pensar em você agora me faz rir. As lembranças são pedras preicosas que guardo com zelo para não perdê-las, não anuviá-las com o passar do tempo. O amor que sinto apenas cresceu e a dor de perdê-lo já não é mais tanta, comparada com a saudade.
Eu superei - com o tempo. Mas a memória daquele dia continuo fixa na minha mente. Acho que ela nunca irá embora. Me acostumei à ela, apesar de tudo. Era isso ou ser derrotada por uma lembrança.
E isso eu não permitiria.
Não deixaria que uma lembrança sua - qualquer que fosse - me derrubasse. Já vi isso acontecendo e não foi bonito.
Não queria isso para mim.
De qualquer modo, quero que saiba que vou me lembrar de você para sempre, não importa quantos anos passem, quantas pessoas entrem na minha vida.
Você é insubstituível.
E eu nunca vou esquecer de você.


Escrito por Amanda Steilein

3 comentários:

  1. Concerteza ,vc é muuito talentosa!
    Parabéns!Lindoo texto
    shuahsas

    PS: Me manda um dos seus livros?

    meu email é;lay_saluane@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. LINDO gêmea, como sempre você mandando super bem!!!


    :**

    Jenny'

    ResponderExcluir
  3. obrigada gente *-*

    Lay, não to mais mandando :/ é que enviei pra uma editora *-----* e ainda to esperando a resposta, er.
    Desculps.

    Beeijos :*

    ResponderExcluir