domingo, 19 de setembro de 2010

Nós e nossas drogas #

Esse foi meu texto para um trabalho de português no qual a gente tinha que fazer um artigo de opinião sobre algum problema da nossa cidade. Escolhi drogas o/ Já faz o maior tempão que eu entreguei pra professora, não postei antes porque ela ainda não tinha devolvido e er, não queria que ela pensasse que eu copiei de algum lugar, monga do jeito que é, nem ia ver que o nome do blog era o mesmo nome que tava na folha ¬¬ E só pra constar, eu tirei 8 nesse texto, não sei porquê, verdade. A professora não disse porquê. Ela declarou em sala de aula que não sabia a regra dos porquês, como empregá-los nas frases, quando era junto ou separado, então não levo muito a sério as avaliações dela. E eu não estou zuando, é verdade.

O tráfico de drogas em qualquer lugar é ruim. Isso porque ele afeta não só as pessoas que vendem e consomem, como também as que não têm nada a ver com ele.

Pessoas traficam na frente de comércios, em esquinas, em qualquer lugar onde existam pessoas que comprem sua droga, eles estão. Você, mesmo não sendo usuário ou traficante, acaba fazendo parte daquilo, aquilo faz parte do seu cotidiano. E, sinceramente, é uma vergonha que seja assim.
Não deveríamos ser obrigados a assistir pessoas destruindo suas próprias vidas diante de nossos olhos e não deveríamos ser forçados a assistir um repasse de drogas. Mesmo em comunidades pequenas como a nossa, até mesmo numa cidade não tão grande como Jaraguá do Sul, frequentemente vemos um traficante numa esquina, alguns de nós até mesmo já foi abordado por algum. Simplesmente é vergonhoso que isso tudo aconteça sob olhos civis e, muitas vezes, policiais.
Acredito que deveriam ser tomadas providências drásticas e sérias para que isso mude – e logo. A polícia militar e civil, o governo da cidade, órgãos responsáveis, alguém deveria tomar uma providência que seja rigorosa e que realmente afete, de modo que, se punido uma vez, não fará novamente. Leis mais rígidas seriam perfeitamente cabíveis. Isto é, se fossem aplicadas de forma correta e justa.
Agora se o individuo quer consumir uma droga, destruir sua saúde, que não faça isso nas ruas, na frente de olhos inocentes. Ou seja, os nossos.
Mas uma coisa é fato: enquanto tiver gente comprando, haverá gente vendendo. Enquanto alguém ainda quiser se drogar, haverá um traficante do qual ele poderá comprar sua droga. E, sejamos francos, enquanto isso acontecer, seremos obrigados a olhar nosso mundo se afundar cada vez mais num abismo que, aparentemente, não tem um fundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário