sábado, 21 de agosto de 2010

Perder ou nunca ter?

Tem um tempo que me fizeram essa pergunta no forms. Na época, eu respondi que preferia nunca ter. Mas sabe quando uma coisa simplesmente fica na sua cabeça e você não consegue parar de pensar nisso, mesmo que seja uma coisa idiota e você tenha plena consciência disso?

Pois é. Foi o que aconteceu comigo e essa perguntinha danada.
Quer dizer, eu pensei no que eu faria se perdesse. Na verdade, eu pensei no que eu perdi e pensei se eu preferia nunca ter tido isso, ter tido aquelas pessoas.
Porque acho que todos têm o direito de tentar, de viver o quanto puder com as pessoas que amamos, mesmo que esse tempo seja escasso. E aí vem aquela questão: o que eu faria quando perdesse?
Ah, eu chorei muito quando perdi as pessoas que eu amava. Doeu tanto, parecia que o meu coração estava quebrando em pedacinhos e que eu nunca mais ia conseguir restaurá-lo.
Mas ei, eu estou aqui, não estou? Estou bem e feliz e dou risada.
Eu penso que se eu não tivesse tido essas pessoas, eu não seria o que eu sou hoje. Porque eu não teria aprendido o que aprendi com elas. Teria sido diferente.
E, quando eu penso nisso, eu NÃO queria as coisas diferentes. Porque eu adoro as coisas como elas são agora. Claro que foi tremendamente difícil no começo, superar a perda, entender que nunca mais seria possível ver aquela pessoa. Mas não é clichê e muito menos mentira quando dizem que tudo na vida passa, basta você querer. É verdade. É apenas necessário você estar disposto a superar.
Eu me lembro de cada segundo com cada pessoa que eu amei – não, que eu ainda amo e sempre, com certeza, vou amar – mas que eu nunca mais irei ver. E eu nunca mudaria nada, absolutamente NADA do que eu vivi com elas.
E então, quando eu respondia a pergunta algum tempo atrás, com “nunca ter”, eu estava errada.
Completamente errada.
Porque eu prefiro ter, viver tudo o que posso, mesmo que eu esteja fadada a perder.
Porque eu consigo superar e conviver com a perda.
Mas acho que não seria capaz de conviver com a culpa de não ter ao menos tentado ou com o vazio de nunca ter tido.

4 comentários:

  1. ola bonita!!!!
    parabens voce escreve muito bem!!!!!
    e você està certa, esses sentimentos fazem parte de estarmos vivos e nos ensinam muitas coisas sim, principalmente a valorizar as pessoas que estão ao nosso lado, a deixa-las com palavras bonitas, pode ser a ùltima vez que a vejamos...
    ahhhhhhhh adorei a tradução de i remember you do skid row!! essa mùsica è tão incrivel, como todas deles!!! sou fã da banda jà tem 20 anos...rsrs sèrio... tive o prazer de conheçê-los nas èpocas aureas da banda.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. own Giza, obrigada *-*
    siim, eu adoro essa música deles *-*
    sorte minha ter a mãe e o pai que eu tenho que me apresentam essas bandas super legais (:
    bj

    ResponderExcluir
  3. Oi...^^
    Caramba, que lindo! Me fez parar pra pensar...
    Por mais que a dor da perda seja profunda não supera a felicidade de ter tido...
    O certo é amar o que temos o máximo que pudermos sem medo de que nos seja tirado.

    Beijusss.=]

    ResponderExcluir
  4. Okay eu assumo foi eu que te fiz essa pergunta no forms. "JPdCLy" ou melhor "Jenny'H"...

    Eu diria a mesma coisa Amanda.
    ^^

    Mais uma coisa em comum! Vocc é mesmo minha gemula não idêntica trocada na maternidade!

    Parabéns. Continue assim.

    futura jornalista Amanda Steilein .

    Beijinhos
    Te desejo tudo de bom

    Jenny'H

    ResponderExcluir