domingo, 29 de agosto de 2010

borboletas negras /

Fiz a sinopse o//

Sinopse O Senhor da Noite, livro dois:
Todos cometem erros.
Bel não sabe disso até cometer o pior da sua vida.
O qual ela se arrependerá até seu último suspiro. O que a fará querer voltar no tempo.
Mas ela não pode. Ela nunca pôde.
Afinal, sua mãe é uma vampira. E, mesmo tentando negar, ela ama o cara que a traiu diversas vezes.
Ela queria fugir do passado, apagar suas lembranças e se concentrar no presente, como sempre fizera. Porém sua meta se deteriora a medida que antigos segredos são trazidos à tona e antigas pessoas reaparecem, como se nada tivesse mudado.
Mas mudou. E Bel sabe disso.
Sem saber como lidar com as consequências do seu erro e sem saber o que fazer com sua vida agora que os segredos de seu pai vieram à tona, Bel se vê encurralada, precisando ser salva.
O passado e o futuro.
Qual deles irá, afinal, salvá-la?

cumpleaños o/

Heei, agora eu tenho dezesseis :*
E ei, eu não me sinto diferente ¬¬
HAHAHAH, como se subitamente eu devesse me sentir, sei lá, mais velha ou qualquer coisa assim. Tipo como no The Sims, girar numa nuvenzinha e virar 'jovem adulta', trocando de roupa e tal.
Não vou ficar naquele clichê de 'agora em diante eu seria mais eu, farei coisas que nunca fiz e mimimi'. Eu não sou hipócrita, fato. Continuarei sendo eu mesma, talvez sim, fazendo coisas que eu ainda não fiz. Porque ei, a gente não pode parar.
Então, só pra me dar um presente (dãr, aliás, obrigada carlinha pela lata de bombons sonho de valsa *-* amei, amei!) segue a sinopse do meu livro favorito o/


City of Bones, The Mortal Instruments, Cassandra Clare
Quando Clary, de 15 anos, dirige-se para fora do Bar Pandemonium em Nova Yorque, ela mal espera testemunhar um assassinato, muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos com tatuagens estranhas e armas bizarras. Então o corpo desaparece no ar fino. É dificil chamar a polícia quando os assassinos são invisíveis para todos e quando não há, nem uma mancha de sangue, para mostrar que um rapaz morreu. Ou era um rapaz?
Este é o primeiro encontro de Clary com os Caçadores de Sombras (ShadowHunters) , guerreiros dedicados a livrar a Terra dos demónios. É também seu primeiro encontro com Jace, um Caçador de Sombras (ShadowHunter) que parece um pouco como um anjo e age como um parvo. Em 24 horas Clary é "puxada" para o mundo de Jace com uma vingança, quando sua mãe desapareceu e Clary foi atacada por um demónio.
Mas por que os demónios estariam interessados em mundanos vulgares como Clary e sua mãe? E como Clary de repente recebe a Visão?
Os Caçadores de Sombras (Shadowhunters) gostariam de saber...

sábado, 28 de agosto de 2010

selinho /

Esse selinho ganhei da Melissa's.
Lindo Melissa, obrigada *-*

2019, o ano da extinção, filme

Eu vi o/ E eu nem sequer sabia que era sobre vampiros. Eu achei que era sobre o fim do mundo, porque o nome indica isso. Mas ei, não era. Era sobre vampiros de olhos dourados que não brilhavam no sol e, para minha felicidade, pegavam fogo *-*
Sério, eu adoro vamps que queimam na luz solar. É tão mais emocionante, essa coisa sobre não pdoer sair no sol senão você morre queimado e tudo o mais.
Eis a minha adoração quando, já no começo do filme, vemos uma vmapira suicida, se deixando pegar pelo sol.
E ela incinerou. Tipo, entrou em combustão espontanea. E tev eum grito bem horrendo, mas ei, ela pegou FOGO!
Tá bom, parei de parecer uma piromaníaca e assustar vocês.
Okey, o nome do vampiro principal é Edward. Confesso que tive um arrepio nessa parte. Acho que estou meio traumatizada com isso tudo, mas enfim. E então, quando eu estava tentando covnencer a mim mesma de que era pura coincidência e que ese vampiro tinha atitude e tal, ele era um vampiro vegetariano. Tipo, ele bebia sangue de porco.
E então eis que surge o "eu odeio ser vampiro".
Sim meus amigos, eu detesto vampiros com depressão.
Virou um vampiro? Lide com isso. Não gostou? Faça como a menina do começo do filme: vai pegar um solzinho.
Mas até aí, tudo bem, estava aparecendo uma sub-espécie bem maneira, do tipo, "vamos te matar" e tal. Bem Drácula. Então, eis que o cara encontra um vamp que deixou de ser vamp.
Tá, confesso que achei bem legal essa coisa de se queimar e virar humano, tipo, a cura esta dentro de você e o sol ativa isso.
Mas o filme deixou a entender que era algo bem mais cientifico e emocionante do que, bem, isso.
Mas tanto faz, o protagonista ficou bem mais gato depois de ter ficado humano.
O interessante foi que quando ele virou humano novamente, subitamente ele sentiu necessidade de tirar o gel que empapava seu cabelo meio comprido para trás e deixar ele sequinho, caindo ao redor do rosto.
Sei lá, será que vampiros não tem senso de moda? Ou apenas auto-mutilam seu visual só pra se punir e curtir a depressão vampiresca?
Sei lá.
Pelo menos os vamps do meu livro não são assim.
Eles são bem maus, do tipo "vou sugar seu sangue até você morrer, muuuuahahahaha".
Tá bom, parei.
Enfim, meio que gostei e não gostei do filme. Poderia ter sido melhor.
Tipo, o irmão do Ed não precisa ter morrido.
Na parte final, quando o irmão dele desce do carro botando a maior moral no bando de vampirões idiotas e sedentos de sangue, os vampirões idiotas e sedentos de sangue encurralam o irmãozinho lindo do Ed (esqueci o nome do irmão gato-desde-sempre) ele olha por cima do ombro pro Ed e, quando eu tava assistindo, eu recitei pro meu pai, antes do cara falar qualquer coisa "Corram" meu pai mandou eu calar a boca porque ele quera ver o filme e ele odeia quando eu e a minha mãe começamos a confabular teorias no meio do filme, então, quando o irmão gato do Ed disse "Corram" então eu desatei a rir e perguntei se aquilo poderia ter sido mais clichê.
Meu pai apenas me mandou calar a boca de novo.
Mas que eu estava certa, isso eu estava o/
E então o irmão gato-desde-sempre do Ed morreu, mordido por centenas de vampiros, já que o irmão gato-desde-sempre do Ed tinha virado um humano também.
E assim, transformando todos os vampiros que o morderam viraram humanos também.
E assim os vamps que viraram humanos despertaram desejo nos que ainda eram vamps.
E assim aconteceu sucessivamente, até restarem só três vamps meio indefesos no meio de tanta carnificina.
E então chegou um vampiro maluco que nunca queria ser humano de novo e matou os três vamps que viraram humanos e então viraram cadáveres.
E o filme acabou com a galera andando de carro, woow, quanta emoção.
Okey, talvez eu tenha gostado um pouco do filme. Mas só um pouco. :D

\ missi

Ah eu tenho dois gatinhos, e não estou me referindo a dois garotos bonitos, e, sim, a dois animais, filhotes de gatos, peludos e tal.
São tão fofos, os dois são preto e branco, com umas manchinhas no queixo tão fofas. Mas nenhum deles tem nome ainda.
Eles já estão comigo há duas semanas e ainda não tem um nome.
Sim, daqui a pouco estão respondendo por "missi" ou "gato".
Pois é. Trágico.





São fofos né? Eu sei que são.

dicas /

Oi gatos :)
Então, hoje resolvi postar sobre um livro que eu já li faz tempo, mas que adorei, que seria o Viagem ao Centro da Terra. Eu li o livro do Julio Verne, aquele que foi adaptado pro cinema. Mas claro que o filme teve um enredo atual e tudo o mais, entretanto, segue praticamente a mesma linha de acontecimentos do filme, exceto pela personagem feminina do filme ser, no livro, apenas um guia turistico homem. Mas tanto faz, eu gostei tanto do livro quanto do filme, o que, vamos combinar, é uma raridade.
E por segundo, Meu ñão Mora mais Aqui, um livro brasileiro, escrito por Caio Riter. Sim, é um livro brasileiro e eu gostei dele. Podem pasmar, eu deixo. É bem legal e ei, não é escrito por hobby, esse livro foi publicado mesmo, eu tenho ele em mãos como tenho o Viagem ao centro da Terra.
Seguem sinopses e capas :*

Viagem ao Centro da Terra, por Julio Verne
Na sua tranquila casa de Hamburgo, o excêntrico Professor Lidenbrock descobre, por acaso, o manuscrito de um alquimista islandês do século XVI, no qual este revela ter atingido o centro da Terra através da cratera do Sneffels, vulcão extinto da Islândia. Seguir-lhe as pisadas é a determinação imediata do sábio que, logo um mês depois, inicia a sua arriscada viagem na companhia do sobrinho Axel e de um guia local chamado Hans. Os três homens penetram pois, nas entranhas do globo terrestre, mas muitas e pasmosas surpresas os aguardam, ultrapassando mesmo todas as mais ousadas expectativas de qualquer dos viajantes: depois de percorrerem inúmeros poços e corredores deparam com uma caverna enorme na qual existe um mar, atravessam uma floresta de cogumelos, assistem a um combate de monstros pré-históricos e chegam a ver, vivos, os homens da era terciária representados por gigantes que se dedicam ao pastoreio de mastodontes.

Meu Pai Não Mora Mais Aqui, por Caio Riter
Letícia e Tadeu contam os seus amores escondidos, os afetos e desafetos pelo mundo adulto, as curtições e as carências, a separação entre pessoas queridas e a amizade, até mesmo o próprio sentido da morte e da solidão.

domingo, 22 de agosto de 2010

divulgaando /

A promoção no Skoob, ganhe um Ipod ou 100 livros o/
Link para participar aqui.

bj :*

desafio the darkness /

Feito por The Darkness.
Esse desafio é para todos que tem E-Books/ Livros no Computador
O Desafio é: Fazer uma lista de todos os seus E-Books.

A cidade das sombras, Jeanne DuPrau
Raven, Alisson von Dieppen
O Vampiro Lestat, Anne Rice
Entrevista com o vampiro, Anne Rice
As terras de Elyon, Patrick Carman
Beastly, Alex Flinn
Bite me, Parker Blue
Sangue e chocolate, Annette Curtis Klause
Burning Sun
Coleção meu Primeiro amor
Confissões de uma Irmã de Cinderela, Gregory Maguire
Crônicas de Nárnia, CS Lewis
Dark Elite - Chloe Nill
Dark Swan - Richelle Mead
Drácula - Bram Stoker
Evernight, Claudia Gray
Faerie in a Dark - Melissa Marr
Fallen - Lauren Kate
Hush Hush, Becca Fitzpatrick
If I Stay, Gaile Forman
Galeras, Paqueras e Muitas Vinganças - Cathy Hopkins
Garota Perfeita - Mary Hogan
Gossip Girl - Cecily Von Ziegesar
House of Night, PC Cast
Irmandade da Adaga Negra
Existiu outra humanidade, JJ Benitez
Jesus disse, JJ Benitez
O enviado, JJ Benitez
Operação Cavalo de Tróia, vol 6, JJ Benitez

Operação Cavalo de Tróia, vol 7, JJ Benitez
Operação Cavalo de Tróia, vol 8, JJ Benitez
Operação Glória da Oliveira, JJ Benitez
O astronauta de Yaveh, JJ Benitez
Rebelião de Lúcifer, JJ Benitez
Jessica's Guide Saga
1-800 Onde tá Você, Meg Cabot
Avalon High, Meg Cabot
A Mediadora - Meg Cabot
A rosa do inverno, Meg Cabot
Garoto encontra Garota - Meg Cabot
Pegando fogo, Meg Cabot
Sorte ou azar, Meg Cabot
Midnight Sun, Stephenie Meyer
O Caçador de Pipas
O Clube do Beijo - Marcia Kupstas
O Imortal - Aránzazu Rodrigues
O menino do pijama listrado
O Segredo do Vale da Lua - Elizabeth Goudge
Onde terminam os Arco-Íris
Os Imortais, Alison Noël
Princesa Pop - Rachel Cohn
Private, Kate Brian
PS eu te amo - cecelia ahern
Rubro, Patricia Camargo
Shiver - Maggie Stiefvate
Soul Love - a noite o céu é perfeito - lynda waterhouse
The Dark Divine - Bree Despain
The Host, Stephenie Meyer
The Morganville Vampires, Rachel Caine
The Mortal Instruments, Cassandra Clare
The Vampire Diaries - LJ Smith
Uma promessa para toda a vida, Nickholas Sparks
Vampire Kisses - Ellen Schreiber
Vampire Academy, Richelle Mead
Werecats ou Shifters - Rachel Vicent
Wings, Aprillyne Pike
I heart you, You haunt me, Lisa Schroeder
A Breve Segunda Vida de Bree Tanner, Stephenie Meyer
Carpatos
Night Huntress, Jeanienne Frost
Uma vez morto, duas vezes tímido - Kim Harrison


Uffffa, acabei .-. desafio mais dificil até agora Kath .-.
haha, enjoy people

sábado, 21 de agosto de 2010

comunidades #

Heei pessoas lindas do meu coração <3
Tá, parei de puxasaquismo.
Agora, eis a novidade:
Criei comunidades para a minha trilogia o/
eis elas:
A Batalha dos Reinos
Os Três Marcos
O Cálice Perdido

Participem amroes :*

I heart you, You haunt me | Lisa Schroeder

Esse livro me fez ter votnade de chorar. Sério, é lindo demais. Eu digo, muito, muito, muito lindo. Me fez até ter inspiração para escrever o post Perder ou nunca ter? o qual eu estava tentando escrever já tem um tempinho.
Simplesmente não tem o que falar desse livro gente, vocês precisam ler pra entender. Ele retrata a dor de perder alguém, o quão dificil é superar e o quão importante é superar isso. Tipo, eu meio que estou me afundando numa fossa agora. Uma depressão pós livro. Tipo, é lindo demais.
Quem quiser o livro, eu envio (y


Sinopse:
Garota conhece garoto.

Garota perde o garoto.
Garota tem garoto de volta ...
... ou nao.

Ava não pode vê-lo ou tocá-lo, a menos que ela está sonhando. Ela não pode ouvir sua voz, exceto os sussurros em sua mente. A maioria pensaria que ela esta louca, mas ela sabe que ele está aqui.Jackson. Ava pensou que ela iria passar o resto de sua vida com ele. Ele está de volta dos mortos, como prova de que o amor realmente não conhece limites.

Perder ou nunca ter?

Tem um tempo que me fizeram essa pergunta no forms. Na época, eu respondi que preferia nunca ter. Mas sabe quando uma coisa simplesmente fica na sua cabeça e você não consegue parar de pensar nisso, mesmo que seja uma coisa idiota e você tenha plena consciência disso?

Pois é. Foi o que aconteceu comigo e essa perguntinha danada.
Quer dizer, eu pensei no que eu faria se perdesse. Na verdade, eu pensei no que eu perdi e pensei se eu preferia nunca ter tido isso, ter tido aquelas pessoas.
Porque acho que todos têm o direito de tentar, de viver o quanto puder com as pessoas que amamos, mesmo que esse tempo seja escasso. E aí vem aquela questão: o que eu faria quando perdesse?
Ah, eu chorei muito quando perdi as pessoas que eu amava. Doeu tanto, parecia que o meu coração estava quebrando em pedacinhos e que eu nunca mais ia conseguir restaurá-lo.
Mas ei, eu estou aqui, não estou? Estou bem e feliz e dou risada.
Eu penso que se eu não tivesse tido essas pessoas, eu não seria o que eu sou hoje. Porque eu não teria aprendido o que aprendi com elas. Teria sido diferente.
E, quando eu penso nisso, eu NÃO queria as coisas diferentes. Porque eu adoro as coisas como elas são agora. Claro que foi tremendamente difícil no começo, superar a perda, entender que nunca mais seria possível ver aquela pessoa. Mas não é clichê e muito menos mentira quando dizem que tudo na vida passa, basta você querer. É verdade. É apenas necessário você estar disposto a superar.
Eu me lembro de cada segundo com cada pessoa que eu amei – não, que eu ainda amo e sempre, com certeza, vou amar – mas que eu nunca mais irei ver. E eu nunca mudaria nada, absolutamente NADA do que eu vivi com elas.
E então, quando eu respondia a pergunta algum tempo atrás, com “nunca ter”, eu estava errada.
Completamente errada.
Porque eu prefiro ter, viver tudo o que posso, mesmo que eu esteja fadada a perder.
Porque eu consigo superar e conviver com a perda.
Mas acho que não seria capaz de conviver com a culpa de não ter ao menos tentado ou com o vazio de nunca ter tido.

Lembranças | Remember Me

Eu assisti. Eu assisti esperando um filme terrivelmente chato, um drama daqueles que te faz ter vontade de passar next cinqüenta vezes e pular direto pro final.

Eu assisti e mordi a língua porque não foi nada do que eu esperava.
Eu pensei que Remember Me (vou chamar assim porque acho que combina mais com o filme tipo, a tradução é “Lembre-se de mim” e não Lembranças. Lembre-se de mim é muuuuito mais lindo e cabível a história do Lembranças .-.) teve toda essa divulgação apenas por causa do Robert Pattinson, mas ei, eu estava completamente enganada. O filme é lindo. L-I-N-D-O. a história é ótima, o drama familiar, as atitudes e a dor do protagonista e da família dele. eu adorei a parte que o Robert tava na exposição da irmãzinha e ele no final vai no escritório do pai dele com o desenho que a irmã fez dele e faz todo aquele auê que eu completamente apoiei porque até então achei o pai (o ex-007) um completo babaca sem coração. Claro que eu mordi minha língua no fim, quando o Robert viu as fotos no computador do pai, bem no final do filme.
O final é inesperado. Eu achei que ia ser aquela coisa mel com açúcar que todo mundo espera, até aparecer a data no quadro negro da escola.
Aí eu fiquei tipo “oh cara ele vai morrer. Só o que falta é o escritório do pai dele ser numa das Torres Gêmeas.”
Oh boca santa.
Meu irmão adorou o final pelo fato de que alguém explodiu e teve suas entranhas a mostra em algum lugar onde um monte pessoas pôde vê-las.
Já eu gostei pelo fato disso ter afetado a vida da sua família, mudando-a para melhor, percebendo que tudo se encaixava com o que o irmão dele dissera para ele na citação do começo do filme, algo como cada coisa que você faz é insignificante, mas você tem que fazer. Pode parecer pouco, mas suas digitais nunca vão se apagar da vida das pessoas que você tocar. E ei, o final casa com isso perfeitamente. A morte dele uniu a família.
Sério, assistam. Não digo isso porque sou fã de Robert Pattinson, porque, vocês sabem, eu não sou. Mas cara, esse foi a melhor atuação da vida dele, na minha opinião. Talvez porque ele não precisou usar três potes de pó compacto para ficar parecendo com mármore. E nem lentes de contato douradas. Ou fingir dor constante e profundo desejo contido.
Mas tanto faz. Remember Me é lindo, vale a pena assistir (y)

domingo, 15 de agosto de 2010

mais livros #

Hei guys (y
Entooon, fuçando comunidades e comunidades, acabei achando (com uma indicação da Byhanka, beijo amiga) alguns livros brasileiros dos generos que nós gostamos. Você sabe, misticismo e bléh.
Então, eis os links das comunidades:

Beijo do anjo
Cammeron Kay
Black Jack
Alera

Hei, esse Alera eu recomendo, já li uns pedaços e tipo, eu ADOREI. (y vamos lá pessoas, prestigiando os trabalhos nacionais porque ei, ta saindo coisa boooa (:

trilogia blind, kyara layne #

Galera, outro livro escrito por uma brasileira o/ a Kyara Layne, é o Blind, da trilogia Blind. Eu ainda não li ele todo, mas li alguns cap e eu realmente gostei. É sobre anjos :D
Segue a sinopse, blog e comunidade no orkut :*
Blog Trilogia Blind
Comunidade Blind, Oficial


Sinopse: A triologia Blind conta história de Claire e as mudanças que sua vida dá depois de descobrir que sua irmã esta se tornando uma dominação(anjo) e que seu destino é protoge-los(dominações).Mas tudo pode mudar depois que Claire descobrir que os humanos não são os únicos cegos...

"... Mesmo assim eram lindas, formadas com penas pretas que aos poucos e em pouca quantidade se desprendiam e se destacavam com a neve branca do chão. A figura de um anjo sentado a beira de um banco, em frente à janela do meu quarto, me observando e me confrontando como se disessi o que eu já sabia desde aquele momento: que ele era o Meu Anjo.A escuridão voltou a fazer companhia minutos depois quando eu fiquei inconsciente. Eu tinha apenas 9 anos quando isso ocorreu, mas eu o veria por mais 7 invernos."

a prometida, metamorfose /

Galera, se vocês não lerem A Prometida e Metamorfose, eu darei um soco em todos vocês.
Era só isso que eu tinha pra dizer :D
Okey, eu estava brincando.
Os livros são ÓTIMOS, muito bem escritos e ei, eu simplesmente não sei o que faria ou quem escolheria se tivesse Daniel e Gabriel, ambos misteriosos e lindos de morrer, meio que aparentemente brigando por mim.
E os sonos - visões de vidas passadas - da Eleonor são tipo, tudo de bom. Eu tenho uma queda por toda essa coisa de reencarnação, aliás, eu realmente acredito que reencarnamos, apesar de eu ser católica. Não sei, acho que tem todo um propósito maior para nós, porque não vejo sentido em termos apenas uma chance para sermos bons se nosso Deus é tão misericordioso.
Mas enfim, não vamos discutir religião.
Apenas leiam esses livros porque são ÓTIMOS mesmo. Eu recomendo completamente (y
beeeijo e queijos :*

/ como ser popular, meg cabot

Gente, eu li esse livro essa semana e tipo, amei. Mas vamos falar sério, o que da Meg que eu não adoro? Meg Cabot é simplesmente tudo *-* Como ser Popular é um livro onde Steph acha um guia de popularidade e começa a seguir as dicas nele propostas. Assim, ela vai calgando na escadaria do glamour escolar, arranjando novos amigos populares com suas roupas da moda e seu cabelo cheio de chapinha e mousse. Entretanto, Jason e Becca, seus melhores amigos, não estão muito felizes com isso. Jason acha que Steph age diferente demais, afinal ele a conhece desde o jardim de infância e esta acostumado com outra Steph - a Steph que ele gosta de verdade. Em meio a tentar manter a popularidade, os melhores amigos, lidar com o casamento do seu avô com a avó de Jason, com uma paixão não correspondida por Mark Finley, Becca, sua melhor amiga, acredita que Jason, seu melhor amigo, é o verdadeiro amor da vida de Becca. E Steph estranhamente não gosta disso.
Preciso dizer mais? Eu amei, amei e amei. Principalmente aquelas partes que a Steph espia através da janela do banheiro o Jason trocando de roupa (#
Riii tanto com esse livro, vcs não tem noção.
Fica aí então a sinopse e a capa, sem download porque eu peguei o livro emprestado com meu amigo, então não procurei o arquivo para baixar. Mas ei, é só jogar no google ou lá no 4shared ou ver se eu tenho o link aqui nas postagens antigas porque eu nçao lembro se eu já postei ou não (#   3beijos.

Nós todos queremos isso. Por quê? Porquê ser popular quer dizer ser adorado. Todo mundo quer ser adorado.
Infelizmente, porém, nem todos nós somos.
O que as pessoas populares têm em comum que as fazem tão popular?
Todas elas têm:
• Uma maneira amigável sobre elas mesmas;
• Alguém para se meter e ajudar a ter o trabalho feito;
• Um interesse em tudo o que acontece no trabalho ou escola;
• Um visual moderno e bonito.
Essas não são coisas com as quais as pessoas populares nascem. É a cultivação dessas características que as fazem serem tão populares…
…e você pode, também, seguindo as dicas deste livro!

sábado, 14 de agosto de 2010

os guardiões de órion, the mortal instruments #

- A autora da série Mortal Instruments (Instrumentos Mortais, no Brasil) anunciou que a saga será composta por mais dois livros: City Of Lost Souls (lançamento previsto para maio de 2012) e City Of Heavenly Fire (lançamento previsto para setembro de 2013).
‘Cidade dos Ossos’, primeiro livro da saga será lançado no mês que vem aqui no Brasil, pela editora Record.
Adorei quadno soube dos dois livros a mais, tipo, eu amei essa série, apesar de achar que temrinou muito bem, eu adoraria ler mais sobre o romance da Claire e do Jace já que tivemos tão pouco disso nos três livros por causa do lance deles serem irmãos e depois descobrirem que não são. Tipo, eu amo o Jace <3


- Lembrando que os três livros da trilogia Os Guardiões de Órion estão completamente terminados e revisados. Ei, e pra quem acompanha a trilogia, já deve ter percebido que as sinopses não fazem referências só à personagem principal, Joe Beaumont, como também a outros personagens da trilogia. Reflitam.
As sinopses dos três livros:

Livro 1, A Batalha dos Reinos:
As coisas ficam confusas e você fica confuso... Você é o único que pode mudar... Só você é capaz. E você precisa ser capaz.
Porque senão, aqueles que você ama perdem.
E você não quer que eles percam, pois isso significa que você falhou. E você não admite falhar.

Livro 2, Os Três Marcos:
Quando você menos espera, aquilo que você menos imagina acontece. Você não esperava e você esta assustado, mas você tem um destino, você tem uma batalha e você precisa ser forte.
Você precisa esquecer. Mas você não quer.
Tudo nas suas mãos e você corre para evitar o inevitável.
E então você chora.

Livro 3, O Cálice Perdido:
Quando o tudo e o nada se fundem e tudo está errado e você está sozinho... Então você tem que ser capaz de fazer uma escolha. E a escolha que vai dizer se as coisas vão ser tudo... Ou nada.
E aí você está só. Mais uma vez... Só.

cinderela de saia justa, livro #

Vê se pode, li um livro ruim até o fim só pra fazer esse post ><  devo realmente ter algum problema mental, só pode.
Peguei esse livro na biblioteca essa semana para ler e foi bem na corrida porque minha mãe estava me apressando e, ei, eu precisava da carona para voltar para casa. Então basicamente peguei os primeiros livros que vi na minha frente e não tive tempo de ler a sinopse.
Acontece que esse é um livro brasileiro, escrito por uma psicóloga (acho eu) que estudou em Harvard e tal. Sabe, eu dei uma chance pro livro, mesmo sendo uma escritora brasileira. Quer dizer, ei, Thalita Rebouças é super legal e ela é brasileira. Quem sabe essa também não era uma boa escritora?
Acontece que não era e eu perdi uma tarde da minha vida (e algumas aulas na escola) para ler esse livro. Não gostei.
A principio, eu tinha curtido a história, depois de ler a sinopse e tal. Aí então começou todo aquele enrolê e mimimi. Sério, me dizem direto que eu levo jeito para ser psicóloga, mas não sei, não acho que eu sirva para o serviço. Supõe-se que eu fique de boca fechada, escute o que o cliente diz e depois diga o que ele quer ouvir, certo? Pois é, acho que eu faria o contrário. Chacoalharia o cara e diria para ir fazer algo que preste ao invés de ficar me pagando para ouvi-lo reclamar da sua vida injusta.
Sei lá.
A história começa legalzinha, tem até um moral, mas ei, não gostei do modo como foi escrita. As coisas acontecendo muito rápidas, sem muitos detalhes. Pra quem gosta desse tipo de coisa, você sabe, meio auto-ajuda ou alguma coisa assim, iria gostar desse livro. Mas eu não curto muito esse gênero, então, não gostei.
Sei lá, eu não recomendaria para vocês lerem.
Mas se quiserem, sem problemas.
Mas eu não indico.
Enjoy (y

música #

Vocês sabem, geralmente eu não curto muito a “nova era” da música brasileira (e, às vezes, internacional) e mesmo que me digam ‘não podemos viver para sempre a mesma coisa’, ainda acho que seria uma boa se Renato Russo e Cazuza não tivessem morrido.Ei, não me culpem, sou antiquada, se você quiser colocar assim. não que eu deteste tudo que é modinha – não. Eu ouvi Restart e Cine antes de sair por aí dizendo o que eu acho. Sim, odiei ambos, mas tanto faz.
Mas enfim, não é como se eu quisesse viver do passado ou algo assim, apenas acho que antigamente a música tinha mais qualidade ao invés de um milhão de bandas que não tocam nada, fazem sucesso e, o pior, acreditam que estão “levando o ROCK para o coração das pessoas”.
Primeiro: Ei cara, rock não é apenas fazer aquele sinal com a mão.
E segundo: Rock não possui músicas com apenas três acordes simples nos solos. Geralmente são dedilhados mega maneiros e super complexos. Nada de dó, ré e sol.
Acredite em mim, eu sei do que estou falando. Já tentei aprender a tocar violão, mas mesmo que não tenha conseguido êxito nesse quesito, eu aprendi a teoria. E ei, meu melhor amigo toca One, Metallica e alguma coisa do Guns nele. E eu não estou brincando. De verdade, sobre a coisa dos três acordes.
Hoje em dia os carinhas vestem uma skinny preta, pegam o violão e, ei, eu sou roqueiro.
É claro que você é.
Mas tanto faz, vocês sabem muito bem como eu me sinto em relação às bandas de sei lá o quê que nutrem uma fantasia de que tocam rock pesado ou algo do gênero.
Eu criei esse post justamente pra falar do novo clipe do Eminem com a Rihanna, que estreou na MTV essa semana. Uma época eu ouvia algumas músicas do Eminem e outras da Rihanna, mas só aquelas que eram boas e agora meio que enjoei dessas e não achei nenhuma que me fizesse querer escutar. Então eis que surge esta.
Mas ei, essa música que eles fizeram juntos é ÓTIMA. O clipe é muito, muito lindo. Isto é, se você gosta de coisas meio pesadas e mórbidas, porque é sobre um casal que é completamente apaixonado, entretanto extremamente violento. Eu achei legal. Ninguém faz essas coisas pra chocar. Quer dizer, ninguém exceto o Eminem, o qual já fez aquela música I’m sorry Mama que eu simplesmente adoro o clipe, sobre um garoto que matou a mãe e enterrou no quintal ou escondeu no armário – não lembro muito bem, eu sei que eu gosto da música :D
Sim, cara, pode me chamar de esquisita, totalmetne não ligo (y
Certo, sobre o clipe, eu não gostei dele só porque a Megan Fox e o Charlie de Lost quem protagonizaram. NÃO OKEY?! Não sou do tipo que gosta das coisas só porque gosto dos atores. E eu nem gosto tanto assim da Megan Fox, exceto a personagem dela em Transformers que é aquela garota cheia de personalidade que anda de moto e conserta carros.
Ah, a nova do Eminem com o Lil Wayne também é boa, assim como o clipe, mas cara, se você quer ainda gostar da música, não procure a tradução, por favor. Eu acidentalmente vi no Lab Sap na MTV, onde passam as legendas em português dos clipes. Não foi culpa minha. Quer dizer, “vou pegar o mundo e jogar na porra da sua cabeça”? isso é fisicamente impossível. A não ser que seja um globo em miniatura, aí sim.
Mas acho que não era isso que o Lil Wayne queria dizer quando cantou essa parte.
E claro que nem vou comentar sobre a parte da “porra da sua cabeça”. Apenas procure ‘porra’ no dicionário e você irá entender o que quero dizer.
Tanto faz.
O que eu queria mesmo era indicar o clipe para vocês assistirem e como eu vivo na Idade da Pedra, não tem link direto pro Youtube, por causa, vocês sabem, da velocidade máster da minha internet que não tem nem capacidade para carregar um vídeo no Youtube. Mas tanto faz meeeesmo. Não ligo .-. Mas joga lá na barra de pesquisa do Youtube: Love the Way You Lie, Eminem ft. Rihanna.

Enjoy (y)

modinhas toscas que não deviam ser modinha #

Eu quero falar sobre uma coisa. Não exatamente falar já que eu só escrevo no blog, mas tanto faz, nem ligo mesmo. Eu quero falar sobre modinha. E eu me refiro a qualquer tipo de modinha. Mas, principalmente, a do meu querido livro que eu adoro tanto, da Meg Cabot, a série A Mediadora.
Porque agora todo mundo na minha escola esta lendo. Porque uns cinco já pediram os livros que eu tenho emprestado. Apenas porque a biblioteca do Senai adquiriu os livros. Com as capas novas. E deixa eu dizer, elas são muuuuito lindas sendo vistas de verdade e não através da minha tela de cristal liquido.
Mas a questão não é essa.
É que eu já estou louca com essa de “Ah o GESSÉ é tão lindo!” Reflita. O GESSÉ da frase é para ser o nosso Jesse. O nosso Jesse enmodinhado, essa palavra nem existe, mas dane-se, o blog é meu e eu escrevo como quero apesar de odiar escrever errado. Não agüento os nomes americanos sendo brasileirados, outra palavra que não existe, mas dane-se de novo. Gente, oi, os nomes americanos tem pronuncias diferentes. Jake não é literalmente JAQUE, mas é JHEIK, com o k mudo. Jesse não é GESSÉ como vocês estão amando dizer, é americano cara, por favor, pronuncie corretamente. É JHESS, nada de i ou e pronunciados no final. É mudo.
Por isso que me dá até calafrio de pensar que Vampire Academy vai virar filme. Já pensaram na modinha que vai virar? Porque agora tudo que tem vampiro no meio do título é meia penca querendo fazer fila pra ver. E ainda por cima gritando enfurecidos que é cópia de Crepúsculo. Eu repito: Crepúsculo não é exatamente original se você conhece Diários do Vampiro. Falei. E inovação do conceito vampiresco transformando vampiros em pedras de mármore que brilham não é exatamente o que eu gosto. Prefiro tipo os de Morganville, natureza fria e meio maldosinha, e ficam fracos no sol, prontos para queimarem vivos. Isso sim é um conceito vampiresco. Pra mim serve até o conceito de VA.
Mas voltando.
Se VA virar modinha, imaginem só os nomes. Adrian em vez de pronunciar EIDRIAN, seria literalmente, ADRIAN. Iam dar um jeito de dizer errado o nome do Dimitri também. Rose não ia ser dito ROUSE, ia ser literalmente ROSE.
Por favor, não vire modinha. Não deixe que vire modinha. Por favor, por favor, por favor. Eu preciso que isso não vire modinha.
É como esse pessoal que escuta Pretinho Básico porque é modinha e fica cantando a música do designer ¬¬ tipo, cala a boca. Você nem sabe porque eles fizeram essa música em primeiro lugar. Por favor, não cante o bordão do Porã, aquela Porã-pinto-pequeno-que-dormiu-na-reunião se você não faz a menor idéia do que eles estão falando. Sério, experimenta baixar todos os programas do site da Atlântida, se situe, então talvez vc passe por um fã de anos.
Mas eu digo: não faça isso.
É como o Justin Bieber fazendo participação especial no CSI. Deus, eu adoro CSI. Na real, eu adoro aaaaltos seriados, acho que sou viciada neles. Por favor, não deixe que Justin Bieber estrague um dos meus seriados preferidos. Hei, cara, você canta. Você não atua. Por favor, se ligue. Vai lá cantar Baby e deixe meu CSI em paz. Hate you  _l_
A mesma coisa que Lady Gaga. Cara, por favor. Eu não gosto. De verdade. Eu não gosto dela. Ela é tão, ugh. E não PE porque talvez ela imite a Madonna. A Madonna é outra que eu não gosto também. Hei, não me processe. Eu também não gosto do Michel Jackson e não vou sair baixando músicas dele só porque o cara morreu. Não me veio uma súbita adoração por músicas dele só porque ele virou uma estrelinha. Prefiro muito mais Guns ou AC/DC ou Kansas ou Skid Row ou esse tipo de banda. Você sabe, Red Hot e tal. Indico essas pra vocês. Hei, você que curte Restart e Cine e essas merdas, faça uma terapia intensiva. Coloque fones de ouvido e aumente o volume do seu iPod no máximo. Então coloque uma playlist cheeeeia de rock antigo pra tocar durante um dia. Eu duvido que você irá querer ouvir outra coisa no outro dia.
Bom, talvez porque seu ouvido estaria inchado, mas tanto faz, quando desinchasse, você detestaria Restar também. Aposto um beijo nisso (ráá!) #Cine.
Er, parei agora. Apenas não se prenda na modinha. E, ei, eu li e amei A Mediadora muuuito antes de virar modinha. Fik dik.

Beijos na bochecha gorda :*

Desafio da Jenny #

Medos
O desafio dos medos. A intenção é lógica, falar 5 medos, que vocc tem e por que.
- perder minha família
- perder meus amigos
- tenho medo de palhaços. Podem rir. Riam muito da desgraça alheia :P de verdade, eu morro de medo deles.
- ser atropelada por um ônibus ou qualquer coisa assim tão grande
- altura, sim, riam novamente, eu também souesquisita e tenho medo de altura. Só basta a escada rolante do chopping pra me dar vertigem e eu achar que vou cair. Sou muito estranha e cheia de complexos ><



7 coisas que amo, 7 coisas que odeio



O desafio é o seguinte: // Fale 7 coisas que vocc ama. E 7 coisas que vocc odeia.//^^

7 coisas que amo:
- Deus
- família e amigos
- livros
- música, sou bem eclética, mas prefiro rock. entretanto não inclua aqui djavú e sequelices do genero.
- meu blog ♥
- escrever

- meu cachorro, o Kenai <3

7 coisas que odeio:
- cinismo
- falsidade
- arrogância
- que falem mal da minha família, eu simplesmente viro o bicho e vc corre o sério risco de levar um soco na cara
- injustiça
- modinhas escrotas ><
- cebola, só uma coisa, eeeeka.


Desafios feitos pela Jenny's.

borboletas negras #

Heeeeei pessoal (:
Primeiro, galera que queria os livros A Prometida e Metamorfose, as autoras me autorizaram a enviar o livro, porém não estão completos, eu só tenho o que elas já postaram no blog e no orkut. :*

Então, eu terminei de revisar o livro essa semana e pronto, está disponivel para envio (y vou postar o primeiro capitulo aqui no blog, mas já vou avisando que ele é meio que apenas introdutório, sem muita coisa nele, apesar de ser compridinho. Tipo, é explicado o que são os vampiros e ei, zumbis porque eu adoro zumbis, e como eles agem e como são, alguma coisa assim :)
Hum, e gente, pra quem eu enviar os livros, por favor, não saiam postando por aí, no 4shared, Scrid ou qualquer outro site assim, nem saiam enviando pras pessoas, caso peçam pra vcs, me digam que eu envio. Pooor favor não façam isso :X comentem aqui no blog e peçam pra mim mesma enviar, vcs sabem que eu SEMPRE envio. (y)
Aqui o link para o usuário que eu criei no orkut pra criar as comunidades e mimimi.
Aqui o link para a comunidade O Mundo dos Mortos, e aqui para a comunidade dedicada ao segundo livro, que será O Senhor da Noite. Aliás, estou disponiblizando tmb todos os livros da trilogia Os Guardiões de Órion, para quem tiver interesse em ler, só me mandar um email.


O Mundo dos Mortos

Prólogo

Foi em 2002 que aconteceu a primeira contaminação.
Ninguém sabe ao certo como foi que aconteceu ou quem foi que iniciou isso tudo, nessa guerra não temos mais tempo para achar culpados. Isso não importa.
Já estamos todos condenados mesmo.

1. Olhos negros e assassinos
Dias atuais, 2010

S
e você me perguntar, eu, com toda certeza, vou dizer não.
         Vou dizer que não estava nos meus planos ter um arsenal no porta-malas do camaro do meu pai e também vou dizer que não era essa a vida que eu queria. Eu não desejo isso para ninguém. E eu não estou exagerando.
         Porém me assusta o fato de eu não conseguir pensar em como seria se não fosse assim.
         Não há onde se esconder por muito tempo, eles acham você. Sempre. Minha vida resumi-se à fugas e mais fugas, não temos um lar e minha família já se reduziu a pó faz muito tempo.
         Eu tenho medo. Não do que possa acontecer comigo – já me acostumei a correr e puxar o gatilho quando for necessário. Eu tenho medo do que pode acontecer com meu pai quando ele sai e não me leva com ele.
         Nunca sei se ele irá voltar.
         É difícil ter certeza de qualquer coisa quando você vive num mundo onde ou você foge, ou você morre. Literalmente. Você não sabe quem está vivo ou quem está morto.
         Na verdade, você sabe sim. Geralmente, quem está vivo carrega uma expressão de medo e desconfiança, angústia e pavor, onde quer que esteja. Já quem está morto possui olhos negros com brilho doentio e bocas com sorrisos mordazes e cruéis. Eles sempre estão prontos para acabar com você.
         Por isso nós fugimos. É deles que fugimos. Eu, meu pai e sei lá mais quantos poucos sobreviventes. A única coisa que sei e já estou cansada de ouvir, é que temos que ter esperança. Mas isso eu já perdi faz tempo, a esperança.
         É difícil mantê-la quando tudo o que você tem na vida são rancores e os únicos sentimentos que você conhece e consegue sentir são ódio e medo.
         Quando estou esperando meu pai voltar, seja agachada ao lado de um sofá esburacado numa casa em ruínas que de longe seria nossa, seja encolhida dentro do nosso camaro, sempre penso o pior, apesar de tentar não pensar.
         Eu quero que ele volte vivo. Eu sempre quero que ele consiga. Mas os pensamentos que migram até minha mente são estonteantes, me fazem passar mal.
         E se ele não conseguir? E se um deles o pegou? E se ele virou um deles? E se ele... morreu?
         Perguntas assim me assombram todos os dias e noites em que meu pai fica fora. Não é medo de ficar sem proteção caso ele não consiga. É medo de perdê-lo, de perder quem eu amo e quem me ama, de perder a única pessoa que me restou. Também não é medo de ficar sozinha quando ele sai.
         Eu sei que meu pai nunca deixaria nada de ruim acontecer comigo, mas também sei que se ele realmente acreditasse que conseguiria me proteger, ele não teria me ensinado a lutar e nem como usar uma arma.
         Meu pai também tem medo de não conseguir voltar.
         Toda vez que ele sai à noite, como fizera agora, eu fico em constante estado de alerta. Eu vigio cada possível entrada de qual seja o lugar que paramos naquele dia. Há dois dias que nós paramos numa vila que parecia abandonada e nos instalamos nesse casebre de um quarto e um banheiro e vedamos todas as janelas com madeira.
         Os móveis daqui já estavam todos destruídos, cadeiras sem pés exceto essas duas junto a uma mesa quadrada. Tudo era imundo, mas não tínhamos do que reclamar.
         Mesmo com janelas vedadas, eu não tenho como me deixar relaxar, faz parte de quem eu sou. Nunca confiar, eu aprendi com o tempo. Nunca confiar em nada. Eu me preparo ao menor sinal de que um deles está por perto.
         Já fui atacada por eles. Várias vezes. Não posso dizer que gosto, mas é minha realidade, minha vida, eu tenho que me defender deles, senão eu morro. Eles começaram a me atacar quando eu tinha quinze anos. Eles não querem transformar crianças. Agora não se engane ao achar que dentro da mente deles talvez possa haver um resquício de moralidade.
         Eles não transformam crianças porque elas não têm força suficiente e não conseguem obedecer. Eles não a transformam porque são fracas.
         Mas, apesar do que eu preferia pensar, um deles me queria, um deles me queria viva e não morta. E acredite isso não é menos alarmante.
         É pior.
         Quando eu tinha nove anos, houve uma noite na minha vida que eu nunca serei capaz de esquecer. Foi a noite que ele disse.
         O vampiro me fitou profundamente, olhos negros que brilhavam enquanto os meus, olhos verdes escuro de uma criança ingênua de nove anos, estavam arregalados de medo e eu me encolhia assustada.
         - Você... – o vampiro disse enquanto sorria e mostrava as suas presas sujas do sangue de minha família. Naquela noite, aquele vampiro matou meu irmão, Lucas, e minha mãe. Eu não vi, mas eu vi o sangue nele e ouvi os gritos deles. – Eu quero você comigo – ele lambeu os lábios, tirando o excesso de sangue, enquanto arriscava um olhar para meu pai nocauteado. Ele tinha lutado para evitar aquilo. Mas meu pai era apenas humano. – Mas eu não quero agora. Sou paciente.
         Só consegui correr até meu pai quando o vampiro finalmente foi embora e comecei a chorar em cima dele. Eu esperei até ele acordar porque estava com medo de levantar a cabeça e ver minha mãe ou meu irmão no chão.
         Na época, eu não consegui entender o que o vampiro tinha dito. Não entendi o sentido e nem o significado daquilo. Mas quando eu fiz quinze, há dois anos, e um vampiro pulou em cima de mim dizendo que tinha vindo em nome do seu mestre, ali eu entendi as palavras do passado.
         Ele queria me transformar em um deles.
         Mas eu nunca permitiria que um deles me tivesse. Jamais permitiria que o assassino da minha família me transformasse como seu igual. Eu preferia morrer a isso.
         Era porque eu temia um ataque dos vampiros que eu sentei na cadeira de madeira junto à mesa e esperava, vigiando todos os lugares, meu pai voltar. Eu insistia mentalmente para que ele chegasse logo. Eu não hesitaria em pegar minha magnum, a qual estava a dois centímetros da minha mão, sobre a mesa. Eu nunca hesitei. Eles não eram humanos. Eles eram cruéis e não tinham qualquer outro sentimento além desse. Crueldade.
         Eu cresci assim, ensinada a nunca relaxar, a nunca baixar à guarda, mesmo quando tudo parecesse calmo. Principalmente à noite. Ela era perigosa demais para ser ignorada.
         Meu cabelo loiro escuro roçava meus ombros enquanto insistia em sair de um rabo de cavalo firmemente amarrado. Alguns fios caiam sobre a minha testa, enquanto o restante pendia solto em suaves cachos no meu rabo de cavalo. Meus olhos verdes escuro fitavam tudo ao redor minuciosamente, temendo qualquer movimento.
         Deixe-me dizer uma coisa sobre esse mundo dominado por vampiros e zumbis no qual sobrevivo: não há motivo para vaidade. Por isso nunca usava nada além das minhas tradicionais roupas. Por exemplo, àquela noite eu usava uma calça jeans preta com coturnos pretos, somados à uma blusa regata branca.
         Esse era meu visual de todos os dias, variando um pouco nas camisetas.
         Eu tinha que estar preparada para qualquer coisa. Você saberia se vivesse se escondendo e lutando contra o que eu luto. Afinal, o segundo que você gasta tentando se equilibrar num salto alto pode ser os segundos necessários para salvar a sua vida.
         Um sibilo me tirou das divagações.
         Merda, sibilos nunca eram bons. Era esse o tipo de sinal para o qual eu estava alerta.
         Levantei rapidamente e agarrei a magnum, mirando prontamente para a porta, porém atenta para as janelas, caso eles conseguissem passar pela nossa vedação. Eu ouvi vagamente alguns passos pesados revirando a terra do lado de fora. Não foi surpresa quando um vampiro escancarou a porta.
         Deus, como eles gostavam de ser dramáticos.
         Esse tipo de comportamento só me fazia adquirir fontes para a minha teoria de que todos eles eram animais sem cérebro.
         Sem hesitar e esperar que ele viesse até mim, eu atirei uma vez apenas na cabeça dele. Isso o derrubou instantaneamente.
         Nós não precisávamos usar balas de prata, me nada disso. Vampiros também não tinham super sentidos, nem velocidade inumana e nem super força. Se tivessem, estaríamos todos ferrados.
         Não que já não estivéssemos.
         Acho que o companheiro do vampiro que eu atirei não gostou muito dessa idéia. Não porque ele me disse isso. Mas ele rosnou. Ele rosnou muito alto.
         Filho da mãe.
         - Idiota! Sua garota idiota! – eu tinha entendido quando ele disse da primeira vez, mas tudo bem.
         Ele rosnou ainda mais e me olhou com olhos negros e assassinos. Ele pulou em cima de mim, me fazendo cair de costas e ficar sob ele – e a minha arma voar longe. Porque as armas sempre voam longe quando precisamos delas?
         O vampiro enfurecido tentou morder meu pescoço, mas não sei se o que o atraia mais era minha jugular ou meu pulso jorrando sangue o qual ele próprio havia cortado, mas sei que aquele momento de indecisão do vampiro foi o suficiente para mim.
         Consegui, de forma miraculosa, chutar a perna dele e rolei para o lado antes que ele caísse em cima de mim de novo. Alcancei a magnum e rapidamente fiquei de pé e atirei nele. Eu atirei muitas vezes.
         Atirei no vampiro até a arma fazer o clique insistente que indicava que a munição acabara.
         O silêncio reinava ao meu redor, nada mais de sibilos ou rosnados ou sequer passos pesados.
         Eu vivia no mundo dos mortos. Tudo era ditado por eles agora. Meu pai me disse que nem sempre foi assim, mas eu era pequena demais antes e não me lembrava de muita coisa.
         Isso era tudo o que eu conhecia. Sobreviva, Belinda, atire neles e viva. Era isso o que eu entendia.
         Sobrevivência.
         Sangue havia respingado no meu rosto e na minha roupa, mas a raiva não me deixava notar isso ou me importar que minha regata branca tivesse sido manchada.
         Eu os odiava. Eu odiava todos eles.
 


domingo, 8 de agosto de 2010

a prometida, saga anjos das sombras #

 Hei galera :)
Então, eu falei com a autora e ela deixou eu repassar para você o livro, mas ei, não esta terminado ainda, eu tenho no arquivo os capítulos que já foram divulgados e a medida que for saindo mais, eu vou anexando junto ao arquivo já existente (como fiz com Fallen) e voilà! Temos o livro o/
A Aryane disse que pretende escrever mais livros, mas por enquanto nada pra publicar, escrever pra ela é mais um hobby. Então, pra quem queria comprar, ainda vai ter que esperar muuuito porque a Aryane não pensa nisso agora (y

Era isso, muita gente estava interessada nesse livro, pedindo mais informações e está aí (y vou ler essa semana guys e então semana que vem posto algum comentário sobre os capítulos já divulgados, opinião e mimimi. E, claro, qualquer informação sobre a Saga Anjos das Sombras, eu posto :D

Enjoy :*

meu novo livro #

Hei guys :)
lembram que eu disse que estava escrevendo um novo livro bem sombrio e cheio de tensão? Não? É, acho que eu não falei nada sobre isso né? Então, eis que estou falando agora. Estou terminando de escrever esse livro e estou refletindo sobre divulgar ele. Enão, ele é sobre vampiros, mas é através do conceito antigo, não vampiros bonzinhos e fofos que brilham. Não, meus vampiros queimam no sol e são bem malvados. O nome da saga (sim, será uma saga) é Borboletas Negras, e o nome do primeiro livro é O Mundo dos Mortos. A capa e uma sinopse meio mini-resenha abaixo:

"Num mundo onde vampiros reinam e controlam, um vacilo que você der, você provavelmente morre."
Belinda talvez seja apenas uma garota que quer encontrar sua irmã e manter seu pai a salvo. Uma garota que apenas quer viver seu presente sem pensar no seu trágico passado e no seu nada estável futuro. Dezesseis anos e sem esperança. Viver fugindo e se escondendo é díficil, principalmente quando parece que um vampiro poderoso resolveu se interessar especialmente nela. As coisas pioram quando um rapaz misterioso salva sua vida e simplesmente some, para depois reaparecer em circunstâncias suspeitas. Traições e mortes, pactos e barganhas, tudo isso num mundo onde não há mais nada vivo, nada do qual se orgulhar.
Tudo isso num mundo repleto de mortos. Criaturas da noite, frias e cruéis. A noite é perigosa e nem a luz do sol é segura mais.
Para onde correr? Bel irá descobrir. Em breve.

Okey, isso ficou bem foda. Minha imaginação é bem fértil, ponto. Eu quero ver se faço uma comunidade no orkut, hm, fiquei com vontade agora :)


Enjoy guys (y

Desafio The Darkness #

Desafio feito pela Katherine, do blog The Darkness :*
O desafio é:
Suas 6 bandas preferidas e as músicas que você mais gosta delas.

Guns N'Roses
1. Street of dreams
2. You could be mine
3. Civil war
4. 14 years
5. Patience
6. Nightrain
7. Sweet child of mine
8. Welcome to the jungle
9. It's so easy
10. You're crazy
11. November rain
12. Garden of eden
13. Don't cry
14. Ain't in fun

AC/DC
1. TNT
2. Back in black
3. Thunderstruck
4. Dirty deeds done dirt cheap
5. Highway to hell
6. Fire yours guns
7. Big Jack
8. Black Ice
9. That's the way I wanna rock n'roll

Legião Urbana
1. Sereníssima
2. Faroeste Caboclo
3. Hoje a noite não luar
4. Pais e filhos
5. Flores do mal
6. Teatro dos vampiros
7. Há tempos
8. Será
9. Que país é este
10. Eduardo e Mônica
11. Geração coca-cola
12. Eu sei
13. Monte castelo
14. Meninos e meninas
15. Por enquanto
16. La forza della vita
17. Antes das seis
18. Comédia romântica
19. Índios

Foo Fighters
1. Best for you
2. Learn to fly
3. Whells
4. Big me
5. Times like these
6. DOA
7. The pretender
8. Walking after you
9. Everlong

Goo Goo Dolls
1. Íris
2. Black Baloon
3. Sympathy
4. Name
5. I'm still here
6. Better days
7. Before it's too late
8. Let love in

Creed
1. Don't stoping dancing
2. My own prison
3. My sacrifice
4. One last breath
5. One
6. Six feet from the edge
7. With Arms Wide Open
8. Higher

\ hei /

Ah eu descobri uma ferramenta tão legal no blog. Eu sei, eu sei, vocês provavelmente vão dizer 'dãr amanda, como você é burra, não sabia disso?' Mas ei, eu não sabia pra que servia aquela caixa de texto url quando eu ia anexar alguma imagem nas caixas. Bem, apesar de eu ter feito um trabalho na escola num site chamado PbWiki, onde tinha que por um monte de urls e pá, eu neeem me liguei que era isso.
Então, como eu sou uma gênia :D para acessar o blog Saga Eleonor Evans é só clicar em cima da capa do livro Metamorfose ali do lado <<< e o mesmo para o blog Os Guardiões de Órion, tmb ali do lado <<<
certo, era isso que eu queria dizer, você sabe, só pra vocês saberem :D
beijos :*

livros #

Heei (y
Como eu sou uma chata insistente, vou continuar persistindo até vocês lerem o livro que eu escrevi e postei lá no blog Os Guardiões de Órion. Tem só o primeiro livro publicado lá e eu posso enviar o primeiro livro pra vocês já. Mas lembrando que eu sou vou começar a postar o segundo livro quando o blog tiver 20 seguidores. E só tem 12 até agora .-.
Vamos lá galera, leiam, me ajudem, daí eu crio comunidades no orkut *-*
Certo, parei.
Só para lembrar, a sinopse do primeiro livro, A Batalha dos Reinos:

As coisas ficam confusas e você fica confuso... Você é o único que pode mudar... Só você é capaz. E você precisa ser capaz.
Porque senão, aqueles que você ama perdem.
E você não quer que eles percam, pois isso significa que você falhou. E você não admite falhar.

Joe é uma garota de dezesseis anos comum, ou quase, na medida do como ela administra sua vida e a do seu irmão mais novo. Tudo caminha bem para eles - depende do que você julga bem quando sua mãe morreu há seis meses e você se culpa por isso - até que um estranho garoto chamado Aaron aparece dizendo coisas absolutamente estranhas sobre uma terra mágica na qual Joe e seu irmão são Príncipes. Aaron, o garoto louco, diz à Joe que seu pai espera por ela.
Era só isso que ela precisava.
Joe e seus amigos enfrentam coisas que nunca imaginaram enfrentar, se veem no meio de uma trégua numa guerra que durava há catorze anos e apenas foi interrompida por causa, bem, dela. Joe, Brand e Carol nunca sequer pensaram que podia existir um mundo mágico, um mundo onde as fadas e a magia existem. Mas nem tudo é maravilhas.
Joe não está certa quanto ao final feliz. Pelo menos não quanto ao seu felizes para sempre.

Enjoy people :*

beastly, a fera, filme #

Ah cara, deve ter saído esses cartazes de divulgação do filme há um tempo, mas ei, eu tinha me estressado porque mudaram a data de estréia (que seria dia 30 de junho) por causa de outro filme da Vanesa Hudgens. E eu fiquei meio revoltada e parei de procurar informações. Há rumores de que a estréia será dia 3 de setembro, mas também há outros que dizem que será só dia 18 de março de 2011. Eu realmente espero que seja dia 3 de setembro.
Então, seguem os dois cartazes de divulgação. E ei, eu preciso dizer que o Alex Pettyfer é a coisa mais linda que eu já vi?
Trailer do filme aqui (legendado). Já vi o trailer faz uma era, mas assistam, é muuuito bom, dá vontade de sair correndo alugar o filme. Coisa impossível porque nem no cinema saiu ainda.
Heei, prefiro o Kyle/Adrian assim, não todo peludo e estranho como no livro. Você sabe, assim fica mais chocante. (y E omg, conseguiram deixar Alex Pettyfer feio! Ganhem o Oscar.


.-.

Como sou uma poia que não tem mis o que fazer, mudei o nome do blog para como estava antes. Ei, não tem como mudar o nome de um blog depois que já fez ele e esta quase há um ano blogando. Pelo meno eu não consegui engolir. Melhor assim :)
beeijo.

sábado, 7 de agosto de 2010

novidade #

Heei (:
Faz tempo que não posto alguma coisa nova, mas ei, não me culpem, o mundo literário anda meio carente de atualizações, principalmente as séries que eu sempre estou acompanhando as noticias. Mas não estou aqui pra falar de coisas velhas. Estou aqui pra falar de uma cosia nova o/
A Prometida, de Aryane Campideli da Silva, é uma história sobre uma meia vampira. lembrando que é um livro brasileiro e, assim como Rubro, está tendo divulgação. Vocês sabem, depois de ler Iracema e O Santo e a Porca é dificil confiar na literatura brasileira. Mas ei, deem uma chance. Vai que estamos ignorando a próxima autora de best sellers de toda a América latina?
Quem quiser ler o livro, aqui o link da comunidade oficial.

Segue a sinopse de A Prometida:

Diana não é como as garotas normais , mas o que poderia ser chamado de normal em um mundo que os monstros não são mas considerados mitos e andam pelas ruas como seres normais.
A vida de Diana não é nada fácil, com muitos segredos e mistérios a serem desvendados ela sofre por ter causado a morte da sua mãe já que a coisa que a matou estava atrás de sua alma mas mesmo ela sendo meia vampira ( mais humana que vampira) ela não consegui fazer nada a não ser fugir , agora em um colégio novo ela ainda continua se escondendo e se distanciando todos e tudo só que dessa vez ela vai ter de lutar por que agora é uma batalha de vida ou morte , ou ela confia em um estranho que pode ajuda-la ou...

Eu te daria mil vezes a minha vida
para te salvar deste destino trágico,
mas que pena ...
eu já estou morto...

Também temos outra saga que parece ser boa, escrita por uma brasileira, Marina Garcia. O nome do primeiro livro é Metamorfose, da Saga Eleonor Evans.
Aqui link do blog onde está sendo postado o livro.
Aqui link da comunidade oficial.

"Todas as batalhas são primeiro ganhas, ou perdidas, na mente"
Joana D'Arc

Sinopse: Filha de uma humana com um vampiro, Eleonor não é muito aceita em seu mundo. Com um avô que a detesta e primos idiotas que a rejeitam. É em meio aos humanos que ela irá achar o seu lugar, tentando esconder sua origem. Contudo, não há maneiras de escapar do seu destino quando este já está traçado a um longo tempo.
O que posso falar...
Eu me chamo Eleonor Evans, tenho dezessete anos, moro com meu pai e o meu tio e estou prestes a me tornar uma vampira.
Bem...
Essa é uma longa história...


Amor Incondicional

Por Amanda Steilein
Como alguém poderia existir sem amigos?

Talvez pareça clichê, o que provavelmente é, e também pode ser que soe exagerado, mas o que se pode fazer se é exatamente assim que as pessoas se sentem?
Não consigo imaginar um universo normal, completamente racional, sem companheiros de conversas, parceiros de bagunça e coisas sérias, sem, afinal, amigos.
Amigos são simplesmente algo que você tem como prioritário, pessoas que não se pode descartar ou ignorar. Afinal, são seus amigos. Procure o significado no dicionário. Ele vai dizer que amigo é um aliado. Uma pessoa que quer bem à outra. Parceiro, companheiro. Unido ao outro por laços de amizade.
Mas isso tudo é tão literal.
Amigo é aquele que não fica do seu lado apenas quando você está rindo e muito bem, mas aquele que permanece ali quando você está chorando histericamente e precisando de alguém. Amigo é este, o que não te vira as costas quando você mais precisa. Não aquele que compra brigas por você, mas aquele que te deixa travar suas próprias batalhas, te deixa aprender com seus erros, apesar de sempre te alertar sobre eles. Mas, afinal, você nunca escuta e é isso que o transforma em amigo. Ele permanece ali, mesmo quando você não o escuta e o contraria. Amigo é aquele que não precisa dizer as palavras para você entender. Basta um olhar e você entende a torrente de palavras não ditas.
E são essas coisas que transformam tudo tão forte e especial.
Porque, mesmo que um dia vocês nunca mais se vejam, um sempre irá se lembrar do outro, sem vai haver uma ternura verdadeira ao se lembrar dos acontecidos. Uma amizade que resiste às barreiras da distância, mesmo que estas sejam invisíveis e se alastrem para qualquer lugar. Uma amizade verdadeira, irá durar.

Dedicado à: Andressa de Souza, Hanna Fischer, Bruno Fernandes Toledo, Rafel de Campos, Gabriel Lombardi, Ailly Orjana, Francine Vanzuita, Stéfani Trap, Camila Siwes, Fabricio Konnel, Valmir Daugs, Daniel Beck, Tiago Getnerski. Amo todos você irrevogavelmente ♥

- edward cullen

Faz taaanto tempo que não falo do nosso Edward aqui no blog. Então, já que minha querida mãe e meu querido pai resolveram assistir Lua Nova numa tarde de quinta-feira, essa semana, eu me inspirei para comentar sobre isso, baseando-me nas reações de meu pai. Ele disse coisas como:
“Esse filme é mórbido!”
“É essa a ação que tem no filme?” (Isso quando ele viu a Bella, o Jake e o Mike indo pro cinema assistir um filme de ação)
“Mas essa garota é muito tonga.”
“Mas esse cara parece um cadáver. E aquele ali também.”
“Esse cara não coloca uma camisa?”
E foram comentários assim que rechearam o filme.
Agora eu repito: ohmeudeus, o Edward brilha. Eu vi ele brilhando no filme. CARAMBA. Eu simplesmente não consigo engolir isso, mesmo vendo um milhão de vezes. Ele brilha.
Eu gostava mais dos vampiros quando eles pegavam fogo no sol. Era tão mais emocionante ver aquelas corridas super ultra rápidas antes que o sol pegasse neles e os incinerasse *-*
Aparentemente Stephenie Meyer não concorda comigo.
Além do fato dele brilhar que é uma coisa que eu jamais irei suportar, mesmo que assista aos filmes trinta vezes seguidas, tem o pequeno fato de que no Lua Nova, pra terminar com a Bella, o Edward leva ela para o meio do mato.
Tá. Porque ele levou ela pro meio do mato pra terminar com ela? Não podia simplesmente fazer isso na sala de estar dela? Tinha que levá-la pro meio do mato e esculachar ela lá sabendo que a Bella é uma monga que iria tentar ir atrás dele mesmo que ele tenha uma velocidade super vampira que ela jamais o alcançaria e, assim, se perder no matagal? Precisava fazer isso com ela?
Eu digo que não. Ele podia ter dito: “Ei Bella, vamos lá dentro no seu quarto, preciso te contar uma coisa.” Mas não. ele disse assim: “Bella, vamos dar uma caminhada.”
Oh cara. Porque não termina com ela como uma pessoa normal? Eu sei, eu sei, Cullen não é uma pessoa e sim um vampiro, mas ei, cai no mesmo conceito. Ele pode sentar num sofá, não pode? Termine com ela em um. Simples. Iria evitar que Sam Ulley tirasse sua bunda do sofá em que provavelmente estava sentado com sua Emilly, para apenas ir atrás da Bella.
Gente.
E o que é quando a Bella corta o dedo no aniversário dela e o Edward joga ela em cima de uma pilha de pratos, fazendo-a cortar o braço inteiro? Cara, ela só tinha cortado a pontinha do dedo! Então ele praticamente – não, ele literalmente – joga ela contra a parede e quase quebra o braço dela.
É cara. Parabéns Ed, de verdade. Meeeesmo. Mandou muito bem nessa.
Eu só estou sendo irônica, se você acompanha meus posts, você sabe quando eu estou sendo irônica. E agora é um desses momentos.
Não vou nem entrar em detalhes sobre o grande mistério que envolve a transformação da Bella. Tipo, eu ainda não arranjei uma teoria plausível e que vá de acordo com todos os princípios vampirescos da saga que explique como que o Edward tirou o veneno de vampiro dele e colocou numa seringa. Sério, isso é um grande mistério para mim.
Gente, pode ser que metade de vcs me odeiem por eu detestar Edward Cullen e Bella Swan e qualquer coisa relacionada a Crepúsculo. Pra vcs terem noção, sim eu sou uma idiota completa por ter um pôster do Lua Nova pendurado na parede do meu quarto. Não, eu não sei porquee u pendeurei ele. Acho que é por falta defotos. Eu ainda não tenho tinta colorida pra imprimir o que eu quero. E a minha impressora ta meia estragada, então não dá, acho que é só pra isso mesmo. Mas mesmo com ele pendurado, eu já até postei uma foto dele aqui no blog, eu colei uma carinha com olhinhos e narizinho e um sorrisinho com lingüinha de fora bem em cima da cara de oi-quero-ir-no-banheiro da Bella .-. odeio a Bella. E eu não também não sei porque eu assisto a droga dos filmes ainda, mas enfim, talvez eu apenas queira ver o cocozão que vai ser o próximo, mas ei, é só o que eu penso. Não precisa fazer comentários me xingando e pá, que nem algumas pessoas fazem. Cara, eu sinceramente não ligo se você não concorda comigo. Dane-se. Um dane-se bem grande pra você. É meu blog. Simplesmente feche a aba se não gostou. Ou então não leia o post né .-. seja inteligente.