domingo, 4 de julho de 2010

o menino do pijama listrado, john boyne #

No inicio do século XXI mais precisamente na década de 40, o holocausto corria solto pela Alemanha e começava a se espalhar pelos países ao redor a segunda Guerra Mundial ainda nem havia realmente começado e já se viam a crueldade humana a cada dois passos de um menino.
Mas “ O menino do pijama listrado” nos apresenta esse horrendo fato histórico de uma forma quase perfeita, é o holocausto e o preconceito visto pelos olhos de um menininho que vivia apenas no seu mundinho, sem conhecer o mundo ao seu redor.
Bruno é um garotinho que vivia em seu mundinho e descia pelo corrimão da escada da casa de Berlim que tinha cinco andares e que se ele olhasse pela janela no quarto do último andar poderia ver uma grande área de Berlim.
Bruno tinha três amigos em Berlim, e passeava pelas ruas da cidade com muito cuidado para não bater em um dos postes.
Um dia bruno chega em sua casa e se depara com a governanta arrumando suas coisas e também mexendo nas coisas do fundo do armário que pertenciam a ele e a mais ninguém.
Bruno e sua família vão embora de Berlim, por causa do trabalho do pai, um militar, e só vão embora porque é uma honra muito grande cumprir um chamado do Fúria.
Quando Bruno se muda para sua nova casa menor e sem um corrimão para brincar, acha que agora não irá encontrar amigos, e , no mesmo dia em que chega a nova casa, Bruno vê pela janela do seu quarto muitas pessoas que moram do outro lado da cerca, e que vestem uniformes listrados.
Bruno não conhece nada sobre o holocausto, e em um certo dia, em uma de suas viagens de exploração Bruno conhece um menino, Samuel. Bruno descobre que eles tem algo em comum, fazem aniversario no mesmo dia e nasceram no mesmo ano.
Nasce ai uma grande amizade, passamos a ver o mundo cruel aos olhos de um menino que sabe apenas que tem um amigo, descobrimos a crueldade humana pelos olhos de um menino, descobrimos a importância de uma amizade apenas com o sentimento de realização e felicidade que Bruno e Samuel nos passam.
Mas acima de tudo descobrimos como a inocência de uma criança é grande e pura. Ao ponto de desconhecer os perigos da vida.

4 comentários:

  1. Vi o filme e fiquei chocada !
    Sem mais comentarios da minha parte...

    ResponderExcluir
  2. a tá e só informando me apropriei de seu texto para um trabalho da facul (obs: sitei o nome da autora) obrigado!

    ResponderExcluir